Viajantes Anônimos

classic Clássica list Lista threaded Em Árvore
50 mensagens Opções
123
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Viajantes Anônimos

Yanko
Administrador
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Candace Shawty
        Olhou ao redor do quarto, retirando a jaqueta dele com cuidado, dobrando ao meio e colocando em cima da escrivaninha. Sentou-se na cama, passando uma mão sobre o cobertor macio, mas logo voltando sua atenção para a cerveja. Encostou sua garrafa levemente na dele, fazendo um brinde e sorrindo.
        Bebeu alguns goles, mas chegou na metade e já não queria mais, senão era capaz de passar mal ali e a última coisa que queria era ficar a noite toda beijando o vaso sanitário, até porque tinha coisas melhores com o que ocupar seus lábios, então levantou e deixou a cerveja em cima do frigobar.
        Assim que se virou, Seth já estava levando-a novamente para a cama, conduzindo-a pela cintura. Deitou no colchão, com o rapaz em cima dela, entrelaçou suas pernas com as dele, retribuindo os beijos com a mesma intensidade. Estava louca para tirar a camisa dele, e o rapaz fez isso por si próprio, como se estivesse lendo os pensamentos dela. Candy sorriu e desabotoou sua calça, empurrando-a um pouco para baixo e brincando com o elástico em sua cueca para provocá-lo.
        Depois de alguns instantes, virou-se de costas para ele, ficando de joelhos e colocando o cabelo para frente, pedindo que ele descesse o zíper de seu vestido azul. Suas lingeries eram sempre provocantes e combinavam, dessa vez estava com um conjunto preto de renda, minúsculo, por sinal.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
Seth a olhou, os olhos azuis quase negros de desejo, brincando com o zíper do vestido, antes de finalmente abaixá-lo por completo.
Entre um beijo e outro, ele descia as mãos pelas coxas da loira, os beijos descendo até o colo, marcando seu território com mordiscadas e chupões.
Retirou o sutiã, desabotoando-o de forma rápida e o jogou ao chão logo depois, os beijos do rapaz se guiando para o seio direito, enquanto sua mão brincava com a auréola do esquerdo. As calças jeans já estavam nos joelhos, a cueca boxer Calvin Klein preta não escondia sua ereção, assim como seus beijos não escondiam como ele queria enlouquecê-la.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
        Soltou um gemido baixinho quando sentiu as mãos dele em suas coxas tatuadas, ciente de que ali era seu ponto mais fraco. Inclinou o pescoço para trás, abrindo caminho para os beijos, mordidas e chupões dele.
        Deitou novamente, puxando-o suavemente junto com ela por uma mão em sua nuca. Separou um pouco mais as pernas, colocando a ponta dos saltos um de cada lado da cama. Sua mão livre desceu pelo abdômen do rapaz, provocando-o por cima da cueca, mas não conseguindo se controlar por muito tempo e passando a mão para dentro, fechando os olhos e gemendo de prazer com o que conseguia sentir, segurando-o com força, mas cuidado para não machucá-lo com as unhas, iniciando os movimentos para baixo e para cima, querendo trazer o rapaz cada vez mais para perto de si.
        - Eu quero ser sua, Seth. Toda sua.
        Falou em uma voz baixa e sensual, lançando um olhar sedutor para ele, acariciando os ombros e o pescoço dele.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
Seth arqueou a sobrancelha, mordendo os lábios para suprimir os gemidos que soltava, a respiração já ofegante.
Mordiscou a auréola direita, os dedos brincando com os lábios inferiores por cima da calcinha de renda preta, em movimentos circulares suaves, a mão livro arranhando a parte interior da coxa.
Foi descendo com os beijos por seu abdômen, quando chegou ao quadril, e parou tudo.
As mãos pararam de se mexer, os lábios pararam de beijá-la, os dedos pararam de arranhar e acariciar as partes mais íntimas.
Ele apenas se posicionou, mantendo a coluna ereta, colocando o polegar na boca e o mordendo depois.
"-Você quer?" - perguntou, e mesmo sem resposta, os dedos desceram para o interior da lingerie, traçando a forma de sua parte intima, pressionando com mais força nos locais mais sensíveis.
"-Então trabalhe para isso".
E ali estava: o criador de caos.
Vendo a situação de Candace : praticamente nua, com apenas uma calcinha encharcada, jogada na cama e segurando-se para não entrar em um colapso sem as ações dele, o que ela mais queria no momento era que fizesse-a dele.
Mas nada seria fácil. Nada era fácil com Seth Yaniv Zohar.
Notou a respiração mais ofegante da loira, e parou antes que pudesse comprazer-se dos movimentos das mãos, ele parou, e a retirou de dentro da lingerie.
Saiu de cima de Candace e se sentou na poltrona, colocando uma perna por cima da outra, as mãos nos encostos, e encarou os olhos azuis da loura.
"Você disse que era dançarina, não? Então...dance. Dance para mim, Candace", a voz saiu rouca e ríspida, tragada de desejo e deleite, o membro mais rígido do que antes, o volume na cueca boxer gritando.
"Eu quero você dance"
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
Uniu as sobrancelhas quando ele parou, estranhando e ficando confusa. Ninguém nunca tinha conseguido parar antes com ela, ou simplesmente não queria.
Apenas concordou com a cabeça ao ouvir sua pergunta, parecendo uma criança à espera de doces, com seus olhos azuis grandes e pidões, desesperada para que ele continuasse o que estava fazendo. Mas ao invés disso ele levantou.
Ela sentou, surpresa e não conseguiu conter um sorriso malicioso. Se era isso que ele queria, era o que ela fazia de melhor. Saiu da cama, andando lentamente na direção do celular dele, procurando uma música para dançar. Colocou "Candy Shop" do 50 Cent, sorrindo com a ironia e sua história com aquela música. Chegou mais perto do loiro, descruzando as pernas dele.
Colocou um dos saltos sobre seu joelho, exibindo a perna, deslizando a mão lentamente sobre ela, até chegar na borda da calcinha molhada e voltar.
Foi até a parede, encostando as mãos e separando as pernas, deslizando até o chão e voltando. Jogou o cabelo e virou de frente para ele, movimentando a cintura para frente e para trás, insinuando movimentos sexuais com a parede. Abusou dos seus movimentos de dança mais sensuais. Rebolou até o chão e ficou de quatro, fazendo alguns passos no chão, aproveitando-se da flexibilidade e seguindo o ritmo da música. Em seguida, foi engatinhando até ele, o olhar sedutor cravado em seu rosto, apoiou-se em suas coxas e subiu, passando os seios nus perto de seu rosto. Virou de costas, rebolando em seu colo, continuando com os movimentos insinuantes. A música acabou e ela sentou no espaço entre as pernas dele, jogando a cabeça para trás, dando algumas mordidas em seu pescoço, as unhas passeando pelas coxas do rapaz.
- O que achou, pudinzinho? Sou digna de ser sua agora?
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
Seth nada disse, apenas colocou as mãos na parte detrás dos joelhos da garota, a levantando no ar e sugando os lábios com os dele, levando-a para a cama novamente, a música trocando de Candy Shop para "Sex on Fire" do Kings of Leon, enquanto ele descia os beijos com cuidado para o abdômen, seguindo para os quadris, as coxas, a parte interna da coxa, onde ele havia parado para dar uma boa mordida, a região ficando vermelha em seguida, quase de imediato.
Os dedos brincavam com o elástico da lingerie, ameaçando tirá-la, mas nunca a retirando, excitando-a com o jogo de provocação.
Ele gostava de faze-la gemer, implorar por ele, pedir por mais. Seth adorava ser o chefe, na vida, no trabalho, em todas relações, e isso não era diferente.
Os beijos desciam para o joelho, os tornozelos, só para fazerem o trajeto reverso, os lábios pairando no queixo de Candace, indo até a orelha, sussurrando.
"Você me quer?" perguntou novamente,  mordiscando a orelha, enquanto as mãos removiam com cuidado a calcinha preta rendada, brincando com o grelo, entrando e saindo, abusando da força que tinha em cada palma, ouvindo suas súplicas. Ele iria acabar com a agonia dela, bastava pedir direitinho.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
Enlaçou as pernas ao redor da cintura dele quando ele a levantou. Quando voltaram para a cama, ela nem conseguia mais pensar direito, estando completamente dominada por ele, agarrando os lençóis, gemendo e se inclinando para a frente, ansiando por Seth. Adorava ser comandada, seria capaz de fazer o que ele quisesse. Quando ele chegou em seu ouvido, pousou uma mão em sua nuca e outra em seu cabelo, agarrando-o com força, quase em desespero.
- Quero. – Teve que limpar a garganta porque estava rouca, para sua voz sair um pouco mais alta. - Eu preciso ser sua, Seth, por favor!
Piscou algumas vezes, exibindo seu olhar de cachorrinho perdido, os olhos brilhando e as pupilas dilatadas de excitação.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
Com a resposta,  ele se animou. Os joelhos sobrepostos no lençol,  lambeu os lábios enquanto removia a cueca boxer, cravejando pelo desespero da loira.

E ali estavam, nus, completamente. O corpo dourado de Seth apenas brilhava mais graças a luminosidade do quarto, o membro dele roçando na intimidade dela, as mãos massageando as coxas e os lábios dele sugando os dela.
Conseguia pressenti-lá arrepiar-se por inteiro, embora ainda não houvesse penetrado e estivesse apenas levando os nervos da loira ao extremo para tê-lá.

Chupava, lambia, tomava posse do corpo dela com seus lábios e mãos, aproveitando de cada ponto sensível que ela tinha, notando uma preferência pelas coxas, onde ele transmitia arranhões e apertava com fervor e rigidez.

Quando ela menos esperou, finalmente, deixou o erotismo tomar-se conta de si e introduziu o membro completamente, as paredes dos lábios apertando contra o enrijecimento de seu membro masculino, se deliciando dos gemidos que Candace soltava, embebedando-se do prazer que conseguia fazê-la sentir.

Riu de forma maliciosa quando pode ver a expressão escarlate estampada no rosto da parceira, e como as mãos apertavam ainda mais os lençóis, e isso tudo só iria piorar, pois depois que entrou,  se moveu, dentro para fora, em um ritmo lento e indolor, os lábios tomando conta dos dela, enquanto regia para o colo, e aos mãos apertavam os seios e os massageavam, torcendo e brincando com os mamilos, entrando mais e mais fundo, porém na mesma velocidade.
"Eu só irei ir mais rápido se pedir" - sussurrou com a voz rouca e embalada de prazer e desejo, saindo aos poucos devido ao excesso de suspiros, gemidos e grunhidos que soltava simultaneamente.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
Admirou-o de cima para baixo, quando ficou completamente nu, passando uma língua pelos lábios em sinal de que adorava o que estava vendo.
Suas pernas tremiam enquanto ele não a penetrava, ficando louca com toda aquela provocação, tendo que implorar por ele mais algumas vezes. E Candy gostava daquilo, era uma dor desesperadora e excitante.
Quando ele finalmente cedeu, ela relaxou um pouco o corpo para facilitar, suspirando e repousando a cabeça no travesseiro, fechando os olhos involuntariamente.
- Oh, isso é tão gostoso... Você é tão gostoso.
Cada vez gemia mais, movimentando a cintura no ritmo dele, retribuindo aos beijos com fervor, como se a boca dele fosse sumir dali a qualquer momento. Tirou as mãos dos lençóis e deixou que suas unhas e dedos brincassem livremente no corpo do rapaz, principalmente nas costas e na bunda, apertando-a algumas vezes.
- Sim... Mais rápido! Mais rápido!
Pediu algumas vezes quando conseguia, entre os gemidos, olhando profundamente nos olhos claros dele.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
O pedido da jovem foi uma ordem, e começou a acelerar o ritmo aos poucos,  indo mais forte e mais a fundo,  até que as mãos, na cintura de Candace, a trouxeram para si, e ela repousava sobre seu colo, sentada com as pernas entrelaçadas na cintura do hebreu.
A periodicidade do movimento de seus quadris a fazia quicar, os seios da loira movendo-se de acordo com ele, e um pouco fascinado, começou a chupá-los enquanto os braços fortes lhe dava apoio nas costas.
Havia algo muito sexy em ter alguém disposto a fazer tudo o que mandava, como se fosse alguma escrava pronta para se render a qualquer pedido. E Seth adorava exercer poder e manipular os sentimentos, provocando-a e parando por alguns segundos, até retornar com mais velocidade e penetrando-a mais profundamente, a respiração ofegante contrastada com as caricias que fazia com a língua,  o corpo suado e quente segurando Candace mais e mais forte, o cabelo levemente úmido por conta da dinâmica oferecida por teu vigor.

Mordia a auréola da loira, adorando os gritinhos de prazer que soltava quando o fazia, lambendo com cuidado depois, sua marca, como disse anteriormente, não saia e ficava para relembrá-la quem ele era . E como uma vez suplicou para que não parasse e que lhe desse mais,  mais e mais.

O abdômen firme se enrijecia ao sentir que estava perto do ápice, mas se segurou, esperando o momento em que ela também chegaria, e não parou,  pelo contrário, se esforçou de tal forma que pude sentir os olhos dela revirando de prazer e vontade.

Movimentos mais bruscos mudaram a posição, agora ela estava por cima, e pegou sua nuca para aproximá-la de outro beijo, entre os grunhidos e pausas para respirar, fazendo barulhos mais e mais fortes quando sentia a intimidade da loira se apertando contra a dele.

"-Você vai ficar louca comigo Candace" disse, a voz já falhando por conta da luxúria "-Eu não vou parar tão cedo!" e assim, acelerou os movimentos,  enquanto seus lábios buscavam os dela.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
A cada investida mais forte que ele fazia, ela o agarrava mais, as costas dele provavelmente já estavam vermelhas com os arranhões de suas unhas, mas era inevitável, porque o prazer a levava a fazer isso, mesmo sem querer.
        Lambia, mordia e beijava cada parte de seu corpo que conseguia alcançar, soltando alguns gemidos, comentários sensuais e súplicas em seu ouvido, retornando o beijo para seus lábios quando ele queria.
        Quando ela ficou por cima, rebolou para cima e para baixo, para frente e para trás, montando nele como uma cavalgada, as mãos passeando pelo peito de Seth. Depois de um tempo sentiu que estava chegando ao orgasmo, inclinando o pescoço para trás, sentindo as pernas tremerem, os grunhidos ficando cada vez mais altos e os movimentos cada vez mais rápidos. Chamava pelo nome dele, sentindo que ele mesmo também não conseguiria se segurar por muito tempo.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
Em que mundo a caça iria devorar o caçador? Na mente de Seth, ao perceber que a loira chegaria - suplicava - pelo orgasmo, e sentindo a mesma sensação, colocou a força de seu corpo no auge, jogando-a na cama, retornando a posição inicial, e obviamente a que mais gostava:
Por cima.
Seth era um dominador, um alfa por natureza, gostava de sentir-se e ter controle,.
Gostava de saber que as súplicas e as instancias que Candace fazia partiam de suas, e somente suas, ações.
Na submissão e na dominação, como na vida, sempre há penalidades, e no momento, a penalidade de Candace, ao confiar demais em Seth, era quase morrer em seus braços, derreter-se em um prazer absoluto, que sabia que nenhum outro poderia lhe dar.
A ironia não deixava de atordoá-lo: para alguém que veio de um povo que foi vítima do pior tipo de dominação, o loiro sabia que seus familiares, se um dia viessem a notar o estado que se encontrava e se empunha, sentiriam nada além de vergonha.
Mas os fragmentos históricos não tinham o direito de moldar um ser humano já em lapidado.
Se a vida fosse uma enorme selva, Seth seria o leão.
Beijos desciam o tronco de Candace, mãos a apertavam em todos os lugares, fluídos saiam de seu lugar mais precioso, mostrando-o como ela estava excitada e enfeitiçada com tudo que ele fazia e deixava de fazer.

Por fim, sentiu que não iria aguentar mais.

"Ca-Candace!..." grunhiu, arqueou as costas, chegando ao ponto máximo do ardor, os batimentos cardíacos acelerados enquanto a lambuzava por dentro, o líquido branco quente rojando para os lados, sentindo que ela fazia o mesmo.
Voltou a si, a respiração mais tranquila e o coração acalmado, o corpo suado e os cabelos louros úmidos.

Desceu a cabeça para dar a Candace um último beijo, o membro ainda na intimidade dela,  as pupilas dilatadas de prazer.

E como sempre, o caçador comia a caça.
 
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
Ficou louca ao ouvir o rapaz chamando seu nome, sentindo o líquido quente, não conseguindo se conter de tanto prazer. Já tinha ficado com homens bons, ótimo até naquilo, mas Seth era melhor. Nunca tinha alcançado seu ponto máximo tão rápido, nem havia sido domada daquele jeito. Ele a fazia se sentir com uma gatinha indefesa, e ela adorava aquela sensação.
        Conforme os movimentos foram diminuindo e se estabilizando, ela foi recobrando a respiração aos poucos, arfando em busca de ar, o suor de seu corpo misturado com o dele, sentindo um calor intenso.
        Retribuía os últimos beijos dele, sem querer que aquilo acabasse, mas ciente do próprio cansaço físico. Seu coração ainda estava disparado, sentia as pernas fraquejando e alguns chupões latejando, mas era uma dor muito boa. Parou de arranhá-lo, já que o ápice do momento tinha passado, fazendo carícias suaves por seu corpo, ainda sentindo prazer por tê-lo dentro dela.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
Segurou os pulsos com firmeza, inclusive machucando-a um pouco, os colocou contra a cabeceira da cama, inclinando-se por cima de Candace.
"Acha mesmo que eu me cansei só com...isso?" perguntou, arqueando a sobrancelha, a voz saindo perigosa, intimidadora e levemente sensual.
Lhe deu outro beijo nos lábios, as língua se enroscando com a dela.
Parou de trocar carícias, juntando o dedo indicador e o médio, colocando-os na sua boca em seguida, um pequeno som de "pop!" surgiu quando ele os retirou.
Soprou por cima dos mesmos, a ponta dos mesmos ficando geladas, e começou a brincar com os lábios inferiores da garota, movimentos circulares, a sua ereção havia retornado, mas agora roçava em sua virilha, já que seus dedos estavam tomando conta das paredes úmidas de suas partes femininas.
"Você está bem mais molhada agora do que antes...me diga, é algo que eu estou fazendo...", ele parou de mover os dedos e de falar por alguns segundos, apenas vendo a figura a baixo dele se contorcendo de prazer.
"Com as mãos?" e nesse momento, foi mais fundo, brincando com a parte mais sensível que ela tinha, deliciando-se dos gritinhos que ela soltava.
Ele adorava ver o rosto de suas presas, do rubor que tomava conta das bochechas e como arranhava cada parte de seu corpo.
E ele adorava beijá-las, também.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
Arregalou os olhos quando ele prendeu seus pulsos e se arrepiou com sua voz, sentindo-se intimidada e submissa. Observava atentamente seus movimentos, passando a língua pelos próprios lábios, sentindo o gosto dele ainda ali.
        Se contorcia e rebolava nos dedos dele, sem conseguir conter os gritinhos de prazer. Seus joelhos estavam dobrados, os dedos dos pés se retraindo. Candy nem reparou em quando exatamente tinha perdido os sapatos, mas nem ligava mais para isso. Não conseguia ligar ou pensar em mais nada porque Seth não deixava, ele bagunçava sua mente de um jeito inexplicável e maravilhoso.
        Soltou uma leve risada com a pergunta dele, mordendo o lábio inferior, estando completamente indefesa. Fez um biquinho, piscando lentamente algumas vezes até fechar os olhos, soltando um longo gemido baixo e sensual.
        - Você é muito mau, sabia?
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
"Digamos que tenha um lobo em mim" Disse, fazendo os movimentos com os dedos ainda mais sensuais e meticulosos,  inserindo um dedo a mais. Sua ereção pulsava sobre a coxa da loira, mas agora não era ele ali, e sim ela.
Ela que importava.
Começou um trilho de beijos, começando pelo pescoço, descendo para os seios, seguindo para a barriga, abaixando até o quadril, quando ele começou a morder as coxas e a virilha.
A encarou, levantando apenas o olhar, sorrindo sorrateiramente, adorando a situação em que estavam.
Os beijos começaram na virilha, descendo um pouco a baixo, parando próximo aos lábios inferiores. Removeu os dedos com gentileza e cuidado, iniciando as carícias com a boca, indo bem leve e quase que timidamente, lambendo apenas onde o interessava.
Até que ele foi mais fundo. E mais fundo. E mais fundo...
Sua boca já a sugava, por completo, as mãos acariciavam as nádegas, dando tapinhas de leve uma vez ou outra, agarrando, enquanto sentia seu sabor entrando em sua boca.
"Você é extremamente doce", disse, para depois voltar  a acarícia-la na parte mais sagrada para uma mulher, mordendo e lambendo, deixando todo o corpo da garota se enrijecer, suplicar, gritar, berrar por ele.
Sim, ele queria que ela gritasse seu nome, suplicasse por mais e mais, e se rendesse a Seth.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
        Seus gemidos já estavam mais altos quando a boca dele encontrou o ponto certo, uma das mãos agarrava o cabelo dele, implorando cada vez mais e mais. A outra brincava com o próprio seio, mordendo o lábio inferior para não gritar.
        Bom, se ele era um lobo, ela era a chapeuzinho vermelho mais contente, que não se importava se o malvado a comesse inteirinha no jantar. Seus lábios formaram um sorriso malicioso com seu comentário em meio a suas súplicas para que o rapaz não parasse. Quando já não aguentava mais aquela tortura tão gostosa, chamou algumas vezes por seu nome, passando a língua pelos lábios e abrindo os olhos azuis para encará-lo.
        - Seth… Seth, você me deixa retribuir? Posso eu sentir seu gosto também? Por favor?
        Fez sua melhor voz de menininha inocente, como se estivesse pedindo um doce a seu pai, daquele jeitinho que ninguém conseguia recusar, colocando o dedo indicador no canto da boca e mordendo, sem conseguir evitar um leve sorriso.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Liizzieh
Seth sorriu e parou quando percebeu que ela havia chegado ao seu ponto máximo, lambeu os lábios.
Ouviu seu pedido e soltou um riso baixo, se colocando de joelhos na cama,  ainda assim alto perto da garota, levando em conta que tinha 1.90 m
"Sinta-se a vontade", disse, com a voz baixa, as mãos dele brincando com os seios dela.
Responder | Em Árvore
Abra essa mensagem na visão em árvore
|

Re: Viajantes Anônimos

Santie
Em resposta à esta mensagem postada por Yanko
Ficou de joelhos de frente para ele, sem se incomodar com a diferença de altura, ainda mais agora que estava sem os saltos e a diferença era de absurdos 24 centímetros. Jogou o cabelo loiro e comprido para um lado, não queria os fios atrapalhando. Começou os beijos em sua boca, descendo pela linha do maxilar, ombros, até chegar em seu peito. Enquanto uma mão brincava com um mamilo, seus lábios beijavam o outro, alternando com leves mordidas. Sua língua desceu lentamente pelo abdômen, depositando mais alguns beijos até chegar no ponto principal.
         Já estava de quatro na cama, acariciando o membro dele, querendo que ele sentisse pelo menos um pouco do que tinha feito ela passar. A agonia da espera, a tortura fascinante que aquela lentidão trazia. Abriu a boca e começou a chupá-lo pelo comecinho, sem parar o movimento de vai-e-vem com uma das mãos, a outra apertando suavemente sua parte mais baixa.
        Depois de um tempo passou a lamber mais para cima, colocando mais ainda aquela delicia em sua boca, indo o máximo que conseguia e voltando. Só aumentava o ritmo de acordo com os gemidos de Seth, que eram música para os ouvidos de Candy, que se animava e acelerava os movimentos. Só se importava em agradá-lo, queria dar-lhe mais prazer do que qualquer outra mulher, satisfazê-lo completamente.
123